A fé inabalável em “Milagres do Paraíso”

Nunca fui uma pessoa muito religiosa, mas por algum motivo sempre tive fé em algo que nem eu sei muito bem o que é. Sempre tive fé em um poder maior que paira sobre toda a humanidade. Algo que não vemos, não entendemos por completo, mas sentimos em alguns momentos de nossas vidas.

O filme “Milagres do Paraíso” é um extremamente religioso. A história é baseada em fatos reais, mais especificamente na família Beam. Christy e Kevin são pais de três meninas: Abbie, Annabel e Adelynn. A vida deles muda drasticamente quando Annabel é diagnosticada com uma doença dita como incurável. A partir disso começa a saga da família atrás de tratamentos que ajudem a pequena Anna.

A história é emocionante do começo ao final. O amor incondicional da mãe pela filha, a luta de toda a família para não perderem as forças num momento crucial da vida de Anna e, é claro, a maneira como a pequena garota enfrenta toda a doença, são pontos que nos fazem sair do cinema refletindo. Mais do que isso, o filme proporciona reflexões muito ligadas à religião. Com a doença de sua filha, Christy começa a perder sua crença em Deus, questionando os motivos de tudo aquilo estar acontecendo.

Assim como em muitos momentos de nossas vidas, mesmo aqueles que não são religiosos acabam se perdendo quando sofrem algum baque muito forte. Em situações como a da família Beam é muito difícil manter a fé, pois o desespero nos faz questionar por que tudo aquilo está acontecendo. Infelizmente, não há resposta para algumas coisas. Realmente, muita gente boa sofre nesse mundo. Annabel foi apenas mais uma delas. Independente do desfecho do sofrimento de cada um, toda dor nos faz enxergar algumas coisas com mais clareza.

É incrível notar como Annabel enfrentou toda a sua doença. A garota não tinha medo de morrer, pois sempre encontrava conforto em sua religião, em Deus. Para mim, uma das cenas mais marcantes do filme é quando Anna diz à mãe que deseja morrer. A menina simplesmente quer que seu sofrimento acabe e, para isso, deseja encontrar a paz em sua morte. E isso nos faz pensar… O quão grande deve ser um sofrimento para que desejemos a nossa própria morte?

Annabel e toda a sua família tiveram grandes lições de vida com tudo o que passaram, mas aquela que me tocou mais se refere aos milagres. Milagres que estão por todos os cantos, o tempo todo, e deixamos de notá-los. Esse filme não é apenas para os religiosos, é para todos que acreditam em uma força maior acima de nós. É para todas as pessoas que têm fé em algo. É para todas as pessoas que veem milagres todos os dias, em coisas pequenas e simples, até em coisas de tirar o fôlego.

É incrível como deixamos esses milagres passarem despercebidos, mas a grande lição que o filme deixou para mim é que todos os dias são milagres. O simples fato de acordarmos, de estarmos vivos, já um grande milagre. Se há uma coisa que “Milagres no Paraíso” fez crescer em mim foi a minha fé. Continuo não sendo uma pessoa muito religiosa, mas mesmo assim continuarei acreditando que há sim um poder maior pairando sobre nós, seja ele qual for. E é esse poder que nos proporciona o simples milagre de viver.

Anúncios

Escrito por

Criadora do Para Preencher e autora do romance "Lola & Benjamin", acredita que as palavras têm poder próprio e são capazes de transformar, inspirar e libertar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s