Anúncios
Carreira

Entenda por que você não precisa querer ser CEO aos 30 anos

Já reparou como atualmente tem muita gente que quer de qualquer jeito chegar ao topo profissionalmente antes dos 30 anos?

Não digo que isso seja algo ruim. É bom ter ambições e planos para o futuro – ainda mais quando você já sabe aonde quer chegar. Mas já parou para refletir como muita gente também não quer ser o CEO de uma empresa aos 30 anos de idade? Entenda que, neste caso, uso o CEO como uma metáfora para quem quer ter um crescimento extremamente acelerado.

Tem gente que, nessa idade, está se redescobrindo, traçando novos planos, redefinindo as prioridades.

Tenho a sensação de que a pressão para ser alguém grandioso profissionalmente é extrema. É claro que é importante querermos construir algo relevante, fazer a diferença, encontrar um caminho que faça sentido. Porém, como já disse muitas vezes, cada um é cada um.

Crescimento acelerado: isso realmente é para você?

Só porque temos uma onda de pessoas muito jovens assumindo cargos altos rapidamente, não significa que esse seja o sonho de todo mundo.

Recentemente, me deparei com um garoto de 20 e poucos anos que, apesar de muito inteligente, estava bem perdido na vida. Não tinha muitas certezas e seu futuro profissional parecia nebuloso. Ele tinha tirado alguns meses para tentar encontrar algumas respostas e o vi sendo julgado por certas pessoas justamente por ainda não ter certezas profissionais consolidadas.

Sou só eu que acho isso completamente normal? Gente, ele tem 20 e poucos anos. Sinto dizer, mas não é todo mundo que nessa idade já tem todos os planos definidos e sabe aonde quer estar daqui a dez anos. Na realidade, suspeito que a grande maioria não saiba.

Até porque a vida às vezes vai nos levando para caminhos que nem imaginávamos e em diferentes fases da vida vamos descobrindo um “novo eu” dentro de nós.

A pressão para ser bem-sucedido e estar no topo da sua carreira aos 30 e poucos anos é extremamente ilusória. Eu lá vou saber se com 30 anos tudo vai ter mudado em minha vida? Hoje posso atuar em marketing, mas amanhã pode ser que eu descubra que amo cerâmica e decida abrir uma escola de artes.

A vida é imprevisível. Assim como nós mesmos. As pessoas estão em eterna mutação e isso é lindo.

A importância de aceitar que cada indivíduo tem uma trajetória única

Precisamos parar de tentar encaixotar todo mundo e dizer que só existe uma maneira de ser feliz e bem-sucedido.

 Sim. Está tudo bem não querer ser CEO aos 30 anos, viu?

Está mais do que tudo bem. E vou além: está tudo bem também não ter certeza do que você quer estar fazendo daqui a 10 anos.

É importante se lembrar de que estamos em constante movimento e é isso que faz com que o ser humano esteja sempre evoluindo. E evoluir significa o tempo todo se descobrir de uma forma diferente. Porque quem somos hoje não necessariamente representa quem somos amanhã.

Gostou do conteúdo? Receba mais textos clicando aqui para se inscrever na nossa newsletter.

Anúncios

Criadora do Para Preencher e autora do romance "Lola & Benjamin", acredita que as palavras têm poder próprio e são capazes de transformar, inspirar e libertar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *