Anúncios
produção-de-conteúdo
Literatura e Escrita

Produção de conteúdo: o que é e como começar a escrever

A produção de conteúdo vem crescendo cada vez mais. Você já deve ter percebido que a internet está cheia de textos, vídeos e imagens não é mesmo? Tudo isso é conteúdo!

Um dos principais erros que as pessoas cometem ao pensarem em produção de conteúdo é acreditarem que essa estratégia está restrita apenas a conteúdos escritos, mas não é nada disso!

Nesse artigo, vou te ajudar a entender de uma forma didática e simples o que é produção de conteúdo, seus benefícios e como começar a escrever o quanto antes (afinal, a gente sempre sofre com aquelas travas que nos impedem de começar, não é mesmo?).

O que é produção de conteúdo?

Produção de conteúdo trata-se de fornecer materiais sobre determinado assunto para o seu público com o objetivo de proporcionar informações relevantes, engajar e fortalecer a sua autoridade em um nicho. Dessa forma, você atrai mais consumidores em potencial para o seu negócio.

O mais interessante dessa estratégia é que você precisa de muito pouco para começar a colocá-la em prática, pois a produção de conteúdo exige baixo investimento no início. É uma maneira muito eficiente de empreendedores e freelancers crescerem em suas áreas de atuação.

Eu, por exemplo, iniciei a minha trajetória como freelancer em produção de conteúdo escrevendo no meu blog e no LinkedIn e com o passar do tempo fui aprimorando e diversificando formatos.

Para criar blog posts, ebooks ou vídeos, por exemplo, é possível gastar pouco e, mesmo assim, fazer um conteúdo bacana. Conforme o negócio for crescendo, você também vai aprimorando a produção.

Aos poucos, as pessoas passam a enxergar a sua marca como referência em determinado nicho e você reforça a sua autoridade. Para isso, a produção de conteúdo deve sempre focar em oferecer soluções atrativas para os problemas que os seus potenciais consumidores possuem, ou seja, devem ser materiais úteis.

Quais são os principais formatos de conteúdo?

Existem muitas possibilidades, pois você pode ir além dos famosos blogs e investir em outros formatos de conteúdo.

Para entender quais são os mais adequados, é importante ter a sua persona bem desenhada, ou seja, entender o seu público para oferecer conteúdos em formatos que sejam atrativos para ele.

A produção de conteúdo deve ser bem planejada e embasada para que os resultados sejam os melhores possíveis! Vamos então conhecer alguns dos principais formatos.

Blog posts

São poucas as marcas que hoje não investem em produção de conteúdo focada em blogs.

É uma das maneiras mais simples e eficazes de começar, pois um blog é um espaço no qual podem ser compartilhados inúmeros conteúdos ao mesmo tempo. Nesse ambiente você pode criar uma identidade própria e separar os textos por categorias.

Não basta publicar um artigo e esperar que ele tenha acessos totalmente sozinho. É preciso estudar as boas práticas de SEO para que o artigo alcance resultados na busca orgânica do Google, mas também é super importante criar uma estratégia de divulgação em outros canais.

Redes sociais e email marketing são um ótimo exemplo, pois são formas de impulsionar o alcance dos seus blog posts. Uma estratégia bem pensada pode trazer ótimos resultados e ajudar a consolidar a sua marca.

Ebooks

Os ebooks são um formato de conteúdo mais denso. Enquanto um artigo pode ter entre 1000 e 2500 palavras, um ebook ultrapassa 3000.

Essa é a principal forma de coletar leads, ou seja, crescer a sua lista de contatos. Ao divulgar um ebook, em troca você pode pedir informações para as pessoas baixarem o material, como por exemplo, e-mail e telefone.

O ebook vai além de um blog post porque além de ser mais profundo, também exige uma diagramação especial para ficar bem atrativo e uma landing page por onde as pessoas poderão baixá-lo.

Uma estratégia interessante pode ser criar um ebook denso sobre um determinado conteúdo e, posteriormente, quebrá-lo em vários artigos para o seu blog. Além disso, o ebook é pode ser uma isca para captar pessoas interessadas em determinado tema e depois vender algum produto especial para elas.

Já deu para perceber que é um tipo de conteúdo imprescindível para a sua estratégia, não é mesmo?

Redes sociais

As redes sociais são a vitrine de muitas marcas. Instagram, Facebook, LinkedIn, Pinterest – é preciso entender quais redes fazem sentido para o seu negócio e qual vai ser o objetivo de cada uma.

Para produzir conteúdos relevantes nas redes sociais é importante conhecer a sua persona e adaptar a linguagem e o formato – algo que funciona no LinkedIn pode não funcionar no Instagram, por exemplo.

Vídeos

Os vídeos são um ótimo exemplo de conteúdo que não é escrito que está em crescimento, pois o consumo de vídeos na web aumentou 135% em 4 anos em comparação com o crescimento de consumo de televisão que foi de apenas 13%.

Não há como negar que o brasileiro passa cada vez mais tempo assistindo vídeos online, portanto, esse é um formato de conteúdo que pode fazer parte da sua estratégia.

Os vídeos são ótimos para criar uma conexão mais próxima com o público e variar os tipos de conteúdos oferecidos. Além disso, eles podem ser inseridos em artigos do seu blog, por exemplo, o que pode ajudar a direcionar as pessoas de um canal para o outro.

Imagens

A produção de conteúdo também está relacionada às imagens, que são muito compartilhadas hoje em dia.

Caso o seu negócio seja muito dependente desse formato, como por exemplo, marcas de roupa e decoração, é importante trabalhar com muita atenção as imagens, pois elas serão responsáveis por atrair boa parte do público.

Por outro lado, é possível utilizar frases de inspiração e gifs também, que não deixam de ser imagens! Faça testes e descubra o que tem melhor performance: usar ou não usar elementos humanos? Usar ou não usar ícones? Tudo isso faz diferença!

Infográficos

Os infográficos nada mais são do que imagens com algum tipo de conteúdo. É um formato super interessante para ser compartilhado nas redes sociais, pois chama a atenção e traz uma informação útil!

Além do trabalho de design para que ele fique atrativo, é preciso estudar bem o conteúdo que será trabalhado no material para que ele atenda o objetivo proposto.

Como começar a produzir conteúdos?

Agora que você já sabe o que produção de conteúdo e os principais formatos que podem ser trabalhados, vem o próximo passo: “E aí, o que eu faço com tudo isso?”.

Na teoria fica tudo muito bonito, mas na prática é que o bicho pega, não é mesmo?

Confira então algumas dicas para começar a produzir conteúdos e, dessa forma, criar autoridade na sua área e fortalecer a sua imagem.

1. Crie um calendário editorial

Um bom planejamento é essencial, pois é assim que você atingirá resultados consistentes. Antes de sair produzindo conteúdos loucamente, pare e pense em tudo o que precisa ser organizado.

Um calendário editorial trata-se do cronograma de todo o seu conteúdo, no qual você irá estruturar:

  • Pautas de conteúdos;
  • Frequência de publicação;
  • Palavras-chaves;
  • Definição de conteúdos topo, meio e fundo de funil;
  • Ações de divulgação dos seus conteúdos.

2. Defina seus objetivos

Para criar um calendário editorial você também precisará definir claramente os seus objetivos.

Com isso eu quero dizer que você precisa ter em mente o que deseja atingir com a sua produção de conteúdo: gerar leads, fortalecer a sua autoridade, engajar, aumentar as vendas.

Isso impacta diretamente no tipo de conteúdo a ser produzido, por isso pense bem e não tente atingir todos os objetivos ao mesmo tempo. Um passo de cada vez, principalmente se você for freelancer.

3. Conheça a sua persona

Personas nada mais são do que representações fictícias do seu consumidor. Por meio de pesquisas e muitos dados, você desenha quem seria o seu consumidor ideal e descreve seus problemas, sonhos, necessidades, medos.

Isso é importante porque te ajuda a entender quais são as soluções que o seu cliente está buscando e como você pode ajudá-lo por meio de um conteúdo relevante.

Não subestime as personas, pois sair produzindo conteúdo sem ter noção do que os seus potenciais consumidores desejam é um tiro no pé. E o único jeito de descobrir o que as pessoas sentem e buscam é conversando com elas, portanto, faça pesquisas e dedique um bom tempo para essa etapa.

4. Analise as métricas

Não adianta nada produzir conteúdos incríveis, mas não analisar como estão desempenhando e se, de fato, atendem as necessidades do público.

A boa notícia é que se não estiver indo bem você sempre pode retrabalhar o conteúdo, pois nada é eterno, viu? Ainda está um artigo raso? Aprofunde. O CTA não esteja performando bem? Modifique. O tráfego não está bom? Analise as técnicas de SEO.

O Google Analytics será o seu melhor amigo nessas horas, pois é uma ferramenta essencial para entender a performance dos seus conteúdos.

5. Estude sobre sua área de atuação

Se você deseja se tornar referência em uma área, então precisa estudar bastante sobre tudo o que acontece naquele meio.

Vamos supor que o seu objetivo é se fortalecer como referência em marketing digital. Para isso, precisa estar o tempo todo ligado nas tendências e novidades do setor. Aprenda muito com quem já está nesse ramo e nunca pare de estudar, afinal, só é referência quem sabe muito sobre determinado assunto.

Estudar nunca é demais: livros, vídeos, podcasts, eventos. Explore de tudo um pouco e absorva conhecimento para produzir conteúdos mais relevantes.

6. Seja organizado

Quantas pessoas deixam de produzir conteúdo por não conseguirem se organizar? Tenha certeza de que muitas.

Organização é essencial para que você consiga incluir a produção de conteúdo de forma consistente na sua rotina.

A minha dica é usar planners, pois eu adoro anotar o que preciso fazer todos os dias e ir dando check. No entanto, tem gente que é mais digital e acaba preferindo planilhas ou ferramentas como o Asana.

Não importa como você decidir se organizar contanto que tenha clareza de suas tarefas na segunda-feira pela manhã e consiga fazer tudo o que precisa até sexta-feira. Ao estabelecer pequenas tarefas por dia fica mais fácil atingir os seus objetivos.

7. Escreva com o coração

É claro que em alguns momentos precisamos ser mais estratégicos e produzir conteúdos técnicos que têm foco total em atender uma necessidade específica do público.

No entanto, por outro lado, gosto sempre de reforçar como foi a escrita com o coração que me fez chegar até aqui. Os artigos que escrevo sem pensar em SEO e performance são aqueles que mais geram identificação com as pessoas.


Leia também: Como me tornei LinkedIn Top Voice: um pouco sobre a minha história


Por mais que todas as técnicas sejam importantes para crescer e atingir mais gente, nunca deixo de dizer que é essencial escrever sobre o que se gosta e com uma pitada de coração, pois isso faz a diferença.

As pessoas percebem quando o que você escreve vem lá de dentro, por isso minha maior dica é equilibrar os dois lados: a razão e a emoção. Mesmo que seja necessário ser mais frio e estratégico em alguns momentos, nunca descarte totalmente a produção de conteúdo autêntica.

Agora é com você! Comece a produzir os seus conteúdos o quanto antes 🙂


Curtiu o artigo? Conte nos comentários!

Ah, e se você for um escritor iniciante ou aspirante a escritor, não deixe de conhecer o meu novo curso online Carreira de Escritor. Clique aqui e saiba mais!

Anúncios

Criadora do Para Preencher e autora do romance "Lola & Benjamin", acredita que as palavras têm poder próprio e são capazes de transformar, inspirar e libertar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *