Anúncios
carreira-de-escritor
Literatura e Escrita

Carreira de escritor: conheça 5 mitos sobre a profissão

Seguir carreira de escritor não é fácil. Enquanto a maioria escolhe cursos como veterinária, engenharia, direito, medicina ou arquitetura, como dizer para o mundo que você quer trilha o caminho literário?

Essa era uma das perguntas que eu me fazia quando todo esse processo ainda estava nebuloso na minha cabeça. Afinal, a única coisa que eu ouvia era que seria impossível viver de livros, pois a nossa sociedade não valoriza carreiras artísticas.

A não ser que eu me tornasse o novo Milton Hatoum ou a nova Clarice Lispector, dificilmente conseguiria me destacar e ser reconhecida como escritora. De fato, eles tinham um ponto, mas esse tipo de discurso é zero motivacional.


Leia também: Descubra o que falta para você se tornar um escritor


Quem decide trilhar a carreira de escritor precisa ter muita consciência dos obstáculos que irá enfrentar. Além disso, é necessário aprender a superar inúmeros comentários perturbadores das pessoas ao seu redor. Infelizmente, o caminho é mais difícil e incomum, portanto, é preciso realmente amar o que você faz.

Carreira de escritor: um sonho possível?

É claro que seguir carreira de escritor é um sonho possível, mas isso não quer dizer que será fácil.

Quando iniciei a minha trajetória como escritora em 2014, não fazia ideia de onde estava me enfiando. Em suma, eu era bem perdida em relação a tudo o que cercava esse universo, porém, a certeza de que a minha paixão estava nas palavras me motivava dia após dia.

Hoje, vejo tantas pessoas passando pelas mesmas situações que passei anos atrás que me sinto na obrigação de ajudar de alguma forma esses escritores iniciantes.

Adoraria ter cruzado com alguém mais experiente quando comecei a minha carreira como escritora, por isso tento devolver os aprendizados dos últimos anos para todos aqueles que são a Bruna de 2014.

Este artigo, portanto, tem o objetivo de te ajudar a clarear algumas falsas verdades que existem sobre a carreira de escritor. Como qualquer outra profissão, é preciso ficar atento àquilo que as pessoas falam, pois nem sempre dá para levar tudo ao pé da letra.

5 mitos sobre a carreira de escritor

Esses mitos são consequência de uma imagem que criamos para o escritor, por isso tenho certeza de que você irá ler algumas frases desse texto e pensará: “Nossa, eu já ouvi isso!”.

Muito do que as pessoas diziam tirava as minhas noites de sono e criava falsas verdades em minha cabeça, de tal forma que eu acreditava em coisas que não eram reais. Para completar, quem dizia tudo isso não tinha nenhum conhecimento sobre a carreira de escritor, então por que eu levava tão a sério?

Apenas porque eu era muito nova e insegura. E quando a gente ainda é muito novo, infelizmente nos deixamos levar pelas opiniões e comentários alheios.

Bom, vamos então começar a nossa lista de 5 mitos sobre a carreira de escritor!

1. Viver de livros é fácil

“Não vai ter dinheiro nem para comer, hein?”.

Parece contraditório esse título e depois essa frase, né? O que eu quero começar dizendo aqui é que você precisa saber que viver de livros não é fácil, mas não pode se deixar abalar pelo o que as pessoas dirão em relação à isso.

Frases como essa são muito desestimulantes para quem deseja seguir carreira de escritor.

O primeiro mito que precisa ser derrubado é sobre a possibilidade de viver de livros, pois por mais que não seja impossível, é difícil. Quem publica com grandes editoras tem direitos do autor que dificilmente ultrapassam 10%, ou seja, se o seu livro custa R$39,00, a cada venda você ganha R$3,90.

Eita! Tem que vender muito para dar conta disso. Mas e quem publica com editoras menores ou de forma independente? Bom, nem sempre eles têm um público tão grande.

O fato é que, independentemente do seu estágio como escritor, uma verdade precisa ser dita: você não vai viver SÓ de livros e está tudo bem.

A realidade é que vários escritores famosos também não vivem só disso, mas isso não significa que a carreira de escritor será insustentável e você não terá nem dinheiro para comer.

Por muito tempo, me deixei limitar por essa crença de que me assumir como escritora era impossível porque eu não poderia viver 100% dos livros. E daí? Posso sim ser escritora, vender livros e complementar a minha renda com outras atividades.

As pessoas estão certas quando afirmam que viver de livros é quase impossível, mas elas precisam ser tão cruéis na forma que falam, afinal, isso pode destruir os sonhos de alguém.

Por muito tempo, ouvir frases como essa me deixavam no fundo do poço, então prometa para mim que não vai deixar o mesmo acontecer com você.

2. Um escritor passa seus dias apenas na máquina de escrever

O segundo mito do ranking vem com essa bela frase que acompanha os escritores diariamente: “Mas é só isso o que você faz?”. Só a gente sabe como é chato ouvir uma pergunta dessas, não é mesmo?

A minha vontade é sempre de responder “É só isso sim, algum problema?”, pois quando falava que era publicitária e trabalhava em agências ninguém me questionava dessa forma.

Acontece que não podemos culpar as pessoas por se posicionarem assim, porque isso é resultado da sociedade na qual estamos inseridos. Não estamos acostumados a conviver o tempo todo com artistas que “deram certo”.

Vemos ideais perfeitos na televisão: cantores e atrizes que estão ganhando muito dinheiro, mas em nosso círculo social não achamos que isso seja possível.

Eu entendo, está tudo bem. O que me chateia é que esse tipo de pergunta, além de criar uma insegurança nos escritores, também os faz acreditarem que nada do fazem é o suficiente.

Essa necessidade de precisar se justificar o tempo todo, sabe? É muito ruim!

E posso te afirmar que não ficamos apenas escrevendo livros. Não imagine que fico em casa o dia todo escrevendo na minha máquina de escrever, sem me preocupar em como vou pagar os boletos no final do mês.

Para ser sincera, a maior parte do meu tempo dedico à produção de conteúdo para clientes e para o meu blog. Sem isso, eu não ganho dinheiro e, assim, não consigo tornar os meus projetos literários reais. A balança hoje em dia ainda é invertida, mas trabalho para que, no futuro, isso mude um pouco.

O mito do “Mas é só isso que você faz?” está associado à criação da imagem de um escritor que não é real e é danoso aos escritores como um todo.

3. O escritor se basta sozinho

Existe a ideia de que o escritor é uma pessoa muito solitária, pois o seu ofício de fato é feito em um computador na solidão.

No entanto, por mais que a atividade em si exija quietude e silêncio, a troca também é muito importante para que a sua carreira de escritor decole.

Em um contexto no qual temos dificuldade de ter acesso às informações sobre essa profissão e não encontramos o devido suporte para trilhar tal caminho, ter o apoio de pessoas que estão no mesmo barco é essencial.

Isso porque é importante trocar experiências e aprender com quem também escreve. No meu caso, é exatamente isso que estou propondo com este artigo: quero ajudar outros escritores a superarem questões que podem ser um obstáculo em suas trajetórias.

A grande lição é que por mais que o ofício seja solitário, a jornada como um todo não deve ser. A troca é enriquecedora e será capaz de tornar os obstáculos no meio do caminho menos dolorosos.

E para completar, vale ressaltar que muitas ideias incríveis surgem de conversas com amigos e familiares, ou seja, a vida é o combustível da literatura. Não é a toa que muito da nossa realidade é retratada nos livros, não é mesmo?

4. Escreva e o prêmio Jabuti virá

Meu objetivo não é desmotivar ninguém, mas pode ser que o prêmio nunca venha, ok?

O ponto aqui não é sobre o Jabuti chegar ou não, mas sobre não se prender aos prêmios literários, acreditando que só eles são capazes de confirmar se um escritor é bom ou não.

Não acredite nisso nem por um minuto! Todos nós sabemos que ser reconhecido é incrível, mas você não precisa de um prêmio para continuar firme e forte na sua carreira de escritor.

Gosto sempre de dizer que o valor de um escritor é medido pela profundidade que ele impacta a vida de seus leitores e não pelo número de vidas que o leem. Afinal, quantidade não é qualidade. Você pode ter 1 milhão de leitores e um impacto muito raso em suas vidas. É isso o que realmente quer?

É claro que, quanto maior o nosso alcance, maiores são as chances de impactarmos profundamente mais pessoas, mas fique feliz por já impactar 10, 20 ou 50 pessoas. Sabe como é difícil deixar uma marca na vida dos indivíduos?

Todas as vezes que alguém me manda uma mensagem falando que leu meu livro ou algum artigo e que se sentiu transformado após a leitura, tenho certeza de que estou no caminho certo.

Um prêmio me ajudaria a aumentar meu alcance, mas não necessariamente preciso dele para impactar vidas. Lembre-se disso sempre que deixar de acreditar em si por conta da falta de reconhecimento da mídia ou dos críticos.

5. Para vender livros, faça desse jeito

Ah, as famosas fórmulas prontas! Como eu as detesto, pois são capazes de eliminar toda a essência de um escritor.

Sempre me deparo com gente prometendo a fórmula perfeita para escrever um livro e alcançar o sucesso. Gente, não é assim que funciona não!

Até porque se fosse, não teríamos tantos escritores incríveis sem o devido reconhecimento.

Infelizmente, o mundo literário é uma bolha muito difícil de penetrar e para que você consiga lidar com essa realidade precisa estar ciente de que não será possível vender milhões de livros seguindo uma fórmula.

Primeiramente, existe uma coisa chamada talento para escrever. E não estou me referindo às produções textuais que fazíamos na escola para passar no vestibular. Estou falando sobre o dom mesmo, a capacidade de contar histórias e se conectar com as pessoas.

Isso é, em minha opinião, algo que dificilmente desenvolve-se, porque vem de uma paixão e uma capacidade de traduzir sentimentos que não é todo mundo que tem.

Esse primeiro ponto está muito ligado à escrita em si, mas há também a publicação, que é determinante para o desempenho de um livro no mercado literário. Não são todos os escritores que saem na capa do jornal e estão em um lugar de destaque nas livrarias. Não é fácil como pode parecer!

Quantas vezes já ouvimos a história de que a J.K. Rowling, escritora de Harry Potter, recebeu negativas de inúmeras editoras antes de conseguir publicar? Vocês acham que ela esperava por todo o sucesso que veio em seguida? Com certeza não.

Foi uma combinação de inúmeros fatores que resultou no que hoje é um dos maiores fenômenos da literatura juvenil.

O que eu quero dizer com isso é: desconfie de tudo o que te promete fórmulas prontas. Seja crítico e não tenha medo de começar do zero!


Conheça meu curso online Carreira de Escritor

Curtiu as dicas? Então você precisa conferir o meu curso online Carreira de Escritor, pois por lá tem ainda mais conteúdo.

Eu desenvolvi esse curso com o objetivo de ajudar escritores iniciantes a trilharem a carreira de escritor com mais segurança, além de terem acesso a informações valiosas sobre a profissão!

Muitas vezes deixamos nossos sonhos para depois. Existem muitos escritores incríveis que não têm coragem de tornarem seus projetos literários reais, seja por medo ou falta de informação. O meu sonho é te ajudar a superar tudo isso!

Ficou curioso e quer saber mais? Então clique aqui para conhecer o curso Carreira de Escritor!

Anúncios

Criadora do Para Preencher e autora do romance "Lola & Benjamin", acredita que as palavras têm poder próprio e são capazes de transformar, inspirar e libertar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *