Anúncios
Cartas

Carta para quem eu deixei de ser

Você se lembra de quando achava que iria ficar para sempre naquela empresa com aquele chefe que você detestava? A sensação era de que você estava presa e todos os dias pensava em se demitir, mas não se demitia.

A boa notícia é que você saiu de lá e está muito mais feliz agora.

Você se lembra de quando achava que o seu coração partido nunca ia se curar? A sensação era de que você seria sufocada por aquele amor e nunca mais se relacionaria com ninguém.

A boa notícia é que você descobriu que existem outros amores por aí e aprendeu a se apaixonar novamente.

Você se lembra de quando achava que aquela sua amiga da escola estaria com você para sempre? Não havia dúvidas de que vocês continuariam juntas enfrentando tudo e todos.

Não sei se é uma boa notícia, mas preciso te dizer que vocês não são mais tão amigas assim.

A verdade, Bruna, é que com as mudanças nos últimos tempos você deixou muito para trás.

Várias de suas versões foram enterradas, junto de medos, alegrias, sonhos, vontades.

Por outro lado, muita coisa voou também. Você se movimentou, se reinventou, se desafiou, se amou. Você realizou vários sonhos que, alguns anos atrás, nem eram sonhos.

Pode parecer tudo meio abstrato falando dessa forma, mas o que quero dizer é que por mais que você tenha deixado várias Brunas para trás, também foi capaz de evoluir e amadurecer bastante.

O futuro muitas vezes parece assustador, pois nos sentimos presos às situações do presente e nem sempre conseguimos ter esperanças para o que está por vir.

A boa notícia é que você não precisa ter medo. Você precisa continuar sonhando, acreditando e lutando. Aqui no futuro, alguns anos mais velha, confesso que ainda tenho medos e inseguranças, mas aprendi que nada é eterno.

Consegui deixar de ser várias Brunas que não queria levar comigo, mas, ao mesmo tempo, continuo me transformando, evoluindo e precisando me adaptar.

Sempre existirão versões de mim mesma sendo deixadas para trás. E a vida continua.

Anúncios

Criadora do Para Preencher e autora do romance "Lola & Benjamin", acredita que as palavras têm poder próprio e são capazes de transformar, inspirar e libertar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *